quinta-feira, maio 13, 2010

Crendice? Quem disse?




Eu sou um espírito prático. Apesar de ter minha fé, e de me considerar um homem de fé, sou essencialmente um cético. Porém, e essas afirmações categóricas trazem sempre um “porém”, sou forçado a admitir que existe algo de sobrenatural no futebol.


Acompanhando o “Time da Moda”, tenho feito várias descobertas nessa arte inesgotável das quatro linhas. No embate de ontem contra o Grêmio, pude constatar uma dessas forças inexplicáveis que regem o futebol. O time do sul é formado por muitos ex-jogadores do São Paulo, equipe que, apesar de todas as suas conquistas, tem fama de não ser de muita raça, coloquemos assim. Mesmo desconsiderando as brincadeiras dos torcedores de outros times do estado, e até do país, temos que admitir que outras características descrevem melhor o bom futebol do tricolor paulista.


Já o Grêmio, este é conhecido pelo espírito guerreiro, como o time que nunca desiste e que luta até o último minuto com empenho desmedido. Ontem, mais uma vez foi assim; saindo de um resultado adverso, os tricolores sulistas viraram o jogo dentro da filosofia do clube.


Sabendo que no futebol moderno os times mudam muito de um ano para o outro, bem como seus técnicos, e considerando que muitos jogadores do Grêmio vieram da equipe do São Paulo, como explicar essa raça, essa força, essa transformação? Eu explico: é a camisa, são as cores, é mágica.


Muita gente vai criticar essa minha teoria, se eu tiver sorte (?) de ser lido por muita gente, mas é a única justificativa que encontro para esse tipo de fenômeno no futebol. Para os mais cético que eu, deixo aqui uma pequena citação: “eu não acredito em bruxas, mas...”.

7 comentários:

Cristian disse...

Tricolor é tricolor, rapá! Esse negócio de mágica é coisa de festinha de criança em playground de classe média! Hehehe! Bahia, Grêmio e São Paulo botam pra lenhar! Já o Fluminense acho meia boca...

Aldo disse...

Que jogão da porra!!!

Pablo disse...

Man, fora o Borges e o Rodrigo na zaga, quem mais do Grêmio pertenceu ao São Paulo...?

Anyway, não acredito que sejam as cores, acho que é mais cultural. É algo que daqui não é muito fácil de entender, mas o pessoas lá no Sul curte esse lance de alma catellana, de jogar na raça.

O pessoal curte um drible bonito e bate palma, mas alucina mesmo é ver um volante largar a posição dele e dar um pique de 50 metros para impedir que a bola sai na linha de fundo, colocando-a pra lateral...

O Grêmio, desde que me entendo por gente, nunca foi "starlet" como o Santos o é agora, ou o Flamengo já foi antes. Sempre foi o time que lutou contra a antipatia do Brasil inteiro e contra a cara torta da imprensa "sudestina".

Mas concordo sim, contigo, quando afirmas que os caras que por lá vão jogar adotam outro comportamento, é natural, pois vivencia-se no dia a dia! Além do que, a organização dos times do Sul, apesar de não serem um São Paulo, ainda é uma das melhores que há no país, além da cidade, que, não sendo bonita, oferece um conforto e segurança que não existem em Salvador, Rio de Janeiro ou Sampa...

É muita coisa e é muito complexo...

Enfim, culturas a parte, foi um jogaço... Espero que o Grêmio passe anyway!

Lucas Pimenta disse...

O negócio é que é o Grêmio... e não porque é tricolor!!!

Jogar no Grêmio é a diferença!!! De longe o melhor time do Brasil, disparado!

Lincoln disse...

Pessoal,

Acho que a raça só é reconhecida quando o time tem resultados. O Grêmio este ano foi caméão em cima do Inter e tá nas semi-finais da Copa que ele jpa tanto ganhou. E virou contra o time da moda e de futebol reconhecidamente técnico. A racã é um recurso para criar afinidade com o torcedor. Mas este só a reconhece com resultados. Será que o Bahia está há 09 anos sem raça. Para mim torcedor tricolor, a única coisa que o Bahia ainda tem é raça, pois falta muita técnica e qualidade. Por fim, Rodrigo, o elenco do Grêmio, além de Rodrigo e Borges, tem os laterais Joilson e Fábio Santos, Lúcio também já foi do São Paulo (mas foi melhor no Palmeiras), os meias Hugo, Leadro e Souza (bi-campeões brasileiros).

Abcs,

Lincoln

paulinho disse...

Todos os assuntos merecem ser discutidos por pessoas de boa vontade e que queiram alargar seus conhecimentos. O especialista serve para trazer mais informações e objetivar a discussão.

RBarboza disse...

É assim com o Mais Querido do Brasil!!
QUalquer um que coloque a camisa do mengão, se não sentir o peso, vira guerreiro.
São paulo, cruzeiro, inter, santos, fluminense são todos times de moça. Dá uma olhada no morumbicha. Só mulher e criança! kkkkk